Onde começa o bicho no homem e o homem no bicho?


 

imagem por Wolf-Spirit89

Sentimentos existem. É inconcebível dizer que são apenas criações da mente humana. Se assim fosse, animais não sentiriam. E eu bem acredito que eles sentem, talvez mais do que o próprio ser humano…
Pense nos animais… Selvagens ou domésticos… Eles conhecem o sentimento. Sentimentos até então… Humanos. A dor da perda, amor e até rancor eles guardam. Por mais que esse último ocorra de forma inocente (ou não). Esses sentimentos, porém, os animais não aprenderam conosco. Talvez até tenham eles nos ensinado a sentir…
Quem nunca viu a fidelidade de um cão para com o seu companheiro? Porque nós, humanos, não somos, em hipótese alguma, donos dos cãezinhos… Ou gatos, ou qualquer outro animal. Somos, para eles, amigos, companheiros.
Um cão ou gato jamais acompanhará uma pessoa maldosa por vontade própria. Ou gostará de pessoas que os maltratam. Jamais. Acompanham por obrigação, jamais por amor, fidelidade. Percebe-se, porém, que essa regra se estende para além dos animais domésticos.
Quantos animais selvagens já não se aproximaram de pessoas que julgaram boas? Ou atacaram pessoas que, de algum modo, julgaram más?
Diversas vezes.
Animais selvagens protegem seus semelhantes contra os outros animais ou contra o ser humano. Eles cuidam de suas ninhadas, criam seus filhotes e os preparam para o mundo, para a vida. E eles não aprenderam nada disso conosco.
Então por que sentimos necessidade de sacrificar animais porque atacaram um ser humano? Para mostrar quem é que manda? O animal não ataca porque quer… Ou ele está defendendo algo valioso para ele, ou possui algum rancor contra quem atacou… Ou contra o seu dono, que, de algum modo, lembra a pessoa que ele atacou. Sim, animais guardam rancor. E eles não selecionam suas vítimas baseando-se apenas num instinto selvagem e vingativo, tido como natural da espécie… Não. Eles sabem exatamente porque atacaram. Talvez isso seja sempre um mistério para nós, tal como o somos para eles.
Os animais, quando perdem alguém do bando onde vivem ou, até mesmo animais domésticos que perdem o amigo, sentem. Eles se entristecem, assim como nós. Ou melhor, diferente. Eles demonstram seus sentimentos de forma cristalina, ficando visivelmente abatidos, demonstrando sua dor. Alguns, de tão ligados ao amigo perdido, acabam partindo junto na incapacidade de superar, de suportar o vazio. Outros, buscam em seus companheiros próximos algum conforto, seguindo em frente, mas nunca deixando para trás a lembrança do que se foi.
Infelizmente, não conseguimos desvendar essa intensidade de sentimentos nos animais, embora eu, particularmente, desejasse. Mas não foram poucas as vezes em que me deparei com uma mostra tão extrema de sentimentos por parte dos animais… E me pergunto:
Quem aprendeu a sentir com quem, afinal?
E a resposta é óbvia:
Aprendemos muito com eles… E se prestarmos mais atenção ao nosso redor, temos muito mais a aprender, mas não sei se, com a forma que temos agido com a natureza e nossos semelhantes, eles pretendem nos ensinar mais…
Anúncios